Governo esperançoso na classificação das ilhas do Fogo e Maio como Reservas da Biosfera pela UNESCO

11 de outubro de 2019

A+ A-

O Governo está esperançoso em como as propostas para classificação das ilhas do Fogo e Maio como Reservas da Biosfera serão aprovadas em Junho de 2020 pela UNESCO, Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, e abrirão portas para candidaturas de outras ilhas.

 

O Governo promoveu, hoje, na cidade da Praia, a apresentação das fichas de candidatura da Reserva Biosfera das ilhas do Maio e do Fogo, com o objectivo de compatibilizar o desenvolvimento das atividades humanas com a preservação do ambiente, numa óptica de desenvolvimento sustentável.

A submissão das candidaturas da Reserva Biosfera das ilhas do Maio e do Fogo, acontecerá dia 14 em Paris, e será apresentada pelo Diretor Nacional do Ambiente, Alexandre Nevsky Rodrigues, que explicou, que os resultados da avaliação final das candidaturas com todos os dados sobre os critérios da UNESCO para aprovação das reservas só serão conhecidos em Junho do próximo ano.

O desenvolvimento sustentável é elemento chave do processo, realçou Alexandre Nevsky Rodrigues, que integra também preservação de valores identitários, e leva em conta que se situam em espaços onde já existem áreas protegidas, além de diversas zonas para as várias funções.

O evento foi presidido pelo Ministro da Agricultura e Ambiente, Gilberto Silva, e contou com a presença da Embaixadora de Portugal, que apoiou o processo de elaboração, através do fundo do ambiente, e de uma representante do secretariado da UNESCO.

Gilberto Silva diz-se esperançoso em como as propostas para classificação das ilhas do Fogo e Maio como Reservas da Biosfera serão aprovadas pela UNESCO.

Todo o processo de preparação do dossier teve a duração de dois anos, e até Fevereiro decorrerá a avaliação técnica, após a qual a UNESCO decidirá se estão criadas as condições de aprovação das candidaturas.

Artigos Relacionados