Emigrante reivindica revisão constitucional que permite aos cabo-verdianos com dupla nacionalidade candidatar-se para Presidência da República

12 de janeiro de 2021

A+ A-

Marcos Rodrigues, natural da ilha do Fogo e emigrante desde 1963 reivindicou hoje na cidade da Praia uma revisão constitucional que permite que cabo-verdianos com dupla nacionalidade possam se candidatar ao cargo de Presidente da República.

Dizendo-se conhecedor da diáspora cabo-verdiana nomeadamente por Angola, Portugal, Holanda e Estados Unidos da América, este gestor de empresas nas áreas da tecnologia e imobiliária acredita que será pacífica esta eventual revisão que vai ser uma correcção necessária relativamente aos cabo-verdianos na diáspora.

Marcos Rodrigues lembrou a participação dos emigrantes cabo-verdianos no processo do desenvolvimento do país em todos os sectores e que, muitas vezes, a dupla nacionalidade que os impedem de serem eleitos, é quase que um certificado para a melhoria das condições de vida e de oportunidades nos países acolhedores.

Dizendo-se sem pretensões presidenciais, Marcos Rodrigues sempre foi avançando que está disponível para servir e ajudar o país e lembrou a participação dos emigrantes cabo-verdianos no processo do desenvolvimento, assunto que vai levar para as audiências já solicitadas junto das entidades políticas nacionais.

Reportagem RCV