Acusação burla: advogado de Gualberto do Rosário requereu a audiência contraditória preliminar

03 de fevereiro de 2021

Gualberto do Rosário, presidente da Câmara de Turismo e antigo Primeiro-ministro de Cabo Verde
A+ A-

O advogado João Medina, que representa Gualberto do Rosário,  avançou hoje que já requereu a audiência contraditória preliminar no caso em que o seu constituinte passa a condição de arguido.

Questionado sobre os factos de que é acusado o seu constituinte, o advogado que representa o atual Presidente da Câmara de Turismo de Cabo Verde, escusa-se de se pronunciar sobre os meandros do processo, mas avança que já solicitou uma audiência contraditória preliminar.

De acordo com relatos na imprensa cabo-verdiano nos últimos dias, Gualberto do Rosário, Presidente da Câmara de Turismo e antigo Primeiro-ministro, é acusado pela construtora de origem portuguesa Armando Cunha, de burla qualificada na venda de um terreno.

Ontem, a Procuradoria-geral da República emitiu um comunicado em que, não identificando os acusados, dá conta de um processo decorre desde 2017 na comarca da ilha do Sal, após uma “denúncia apresentada por uma Sociedade Anónima identificada, com sede em Lisboa”.

Na sequência, um dos acusados foi constituído arguido e interrogado nessa qualidade durante a investigação, no dia 26 de janeiro de 2017, na Procuradoria da República da Comarca do Sal, e no dia 10 de julho de 2019 no Departamento de Investigação Criminal da Polícia Judiciária da mesma ilha, tendo sido notificado do despacho de acusação no dia 21 de janeiro de 2021.

Reportagem RCV