Ressurgimento do surto de Ébola na Guiné-Conacri leva autoridades sanitárias nacionais a verificar planos de contingências

17 de fevereiro de 2021

Foto: Goran Tomasevic - 13.dez.2018/Reuters
A+ A-

O diretor do Serviço de Vigilância e Resposta do ministério da Saúde assegura que a vigilância no ponto de entrada a partir do continente africano, neste caso o Aeroporto Internacional da Praia.

Domingos Teixeira esclarece que os equipamentos necessários para combater o Ébola, Cabo Verde já os tem tanto mais que são os mesmos utilizados para combater o SarsCov2 que provoca a Covid-19.

O diretor do Serviço de Vigilância e Resposta lembra que o risco para Cabo Verde é baixo e, de mais a mais, são seguidas as informações da Organização Mundial da Saúde que elabora em permanência os estudos para determinar o risco para cada país.

O ressurgimento do Ébola na Guiné-Conacri está confirmado desde domingo passado. Detetado pela primeira vez em 1976 na República Democrática do Congo, o Ébola é uma febre hemorrágica.