Qualificação Afrobasket: "os interesses da FIBA venceram a Covid" – Emanuel Trovoada

04 de março de 2021

Mané Trovoada, Selecionador Nacional de Basquetebol [foto fiba.basketball]
A+ A-

Emanuel Trovoada, treinador da seleção cabo-verdiana de basquetebol, confessa que não ficou surpreendido com a decisão da FIBA em mandar realizar os jogos que envolvem Uganda no grupo E de qualificação para o Afrobasket.

O selecionador nacional diz que, por aquilo que conhece da instância que gere o basquetebol africano, já adivinhava este desfecho. "Confesso, pela experiência que tenho e conhecendo bem os centeudos da nossa FIBA Africa, já estava a espera desta decisão...pelo tempo que estavam a demorar, pelos interesses que estão por trás...e basicamente os os interesses da FIBA venceram a covid. É injusto para as seleções que cumpriram todos os protocolos de covid-19".

Crítico em relação àquilo que considera ser uma incoerência da FIBA, Emanuel Trovoada diz que se acabou por premiar quem não cumpriu o protocolo da covid-19. 

Seja como for, Mané Trovoada garante que a seleção está decidida em marcar presença no Afrobasket e avisa que não há nada que abale essa determinação.

Nesta entrevista à Rádio de Cabo Verde, o selecionador abordou também o desempenho da seleção nacional na segunda volta do Torneio de qualificação para o Afrobasket, que decorreu há duas semanas na Tunísia. Cabo Verde averbou duas derrotas, com Marrocos e Egito. Sobre o desaire com os marroquinos, por uma diferença de três pontos, Mané Trovoada considera que a lesão do poste Michel Mendes, no último período desse jogo, foi determinante.

Se com Marrocos, o jogo foi muito equilibrado, já frente ao Egito as coisas descambaram, Cabo Verde perdeu por uma diferença de 29 pontos. Mané elogia a atitude dos jogadores sobretudo no segundo e terceiro períodos, perante um Egipto forte, mas reconhece que é preciso melhorar a questão da perda de bola. 

No agregado das duas voltas do torneio de qualificação, Cabo Verde tem uma vitória e quatro derrotas. Ainda assim, a seleção nacional ocupa neste momento o segundo lugar do Grupo E, falta jogar com Uganda. Cabo Verde depende apenas de si para se qualificar para o Afrobasket 2021 que acontece entre finais de agosto e início de setembro no Ruanda.

 

Oiça a notícia com as declarações de Emanuel "Mané" Trovoada



Artigos Relacionados