Homicida de Clarisse Fernandes condenado a 24 anos de prisão efectiva

30 de julho de 2021

A+ A-

24 anos de pena efectiva, um milhão e noventa e um mil escudos de indemnização à família, foi a pena do homicida de Clarisse Fernandes jovem de 20 anos assassinada no passado mês de fevereiro pelo seu ex companheiro e pai da sua filha de 1 ano na altura. O julgamento teve início ontem no Tribunal da Comarca de São Filipe no Fogo, seis meses após o ocorrido.

O homicida de nome Jorge Amílcar Correia Tavares, mais conhecido por Betinho, de pouco mais de 40 anos, encontrava-se desde o passado dia 26 de fevereiro em prisão preventiva apos ter confessado a autoria do crime e indicado o local onde se encontrava o corpo de Clarisse Fernandes, a cerca de 500
metros da residência da vítima. Clarisse, que era conhecida por Vovó, ficou desaparecida por 18 dias e o corpo só foi descoberto no dia 25 de fevereiro.

O julgamento começou ontem e foi concluído hoje tendo a juíza determinado uma pena cumulativa de 24 anos de prisão efetiva pelos crimes de homicídio qualificado e ocultação de cadáver.

O homicida é pai da filha da vítima, Clarisse Fernandes e o motivo do crime teve a ver com o fim do relacionamento. Um crime que chocou a ilha do Fogo e pelo facto do suposto autor ter, inicialmente, participado das buscas pela jovem sabendo que esta já não estava com vida.



Programação

Ainda esta Semana

Últimos Vídeos

Últimos Áudios

Artigos Relacionados