ADAD considera fracos os compromissos assumidos na COP 26

16 de novembro de 2021

A+ A-

Fracos em engajamentos firmes e concretos é assim que a Associação para a Defesa do Ambiente e Desenvolvimento (ADAD) considera os compromissdos assumidos no final da Conferência do Clima que recorreu em Glasgow na Escócia.

O presidente da ADAD, Januário  Nascimento também posiciona-se contra a realização anual desse tipo de encontro e sugere melhor preparação dos países participantes, como o caso de Cabo Verde, em que não houve encontros com organizações da Sociedade Civil, antes da participação na COP 26.

Além do mais, o Presidente da ADAD questiona a metodologia utilizada para realização  desse tipo de evento, e defende uma melhor preparação dos países  participantes.

Sábado, após duas semanas de intensas negociações, cerca de 200 países aprovaram um texto considerado "morno" destinado a acelerar o combate ao aumento das temperaturas, que não garante, contudo, o cumprimento da meta de conter o aquecimento a 1,5° Celsius em relação à era pré-industrial, nem responde aos pedidos de ajuda dos países mais vulneráveis.

A COP 26 dotou formalmente, uma declaração final com uma alteração de última hora proposta pela Índia que suaviza o apelo ao fim do uso de carvão.

E a responsabilidade da organização da conferência da ONU sobre as alterações climáticas,  cop27,   em 2022  foi conferida ao Egipto.

 

RTC Online, com RCV



Artigos Relacionados