Elevado custo para o Estado dita fim da subsidiação do preço do milho

14 de janeiro de 2022

A+ A-

Governo nega interferência na regulação do preço do milho de segunda, que, segundo Miguel Moura, Secretário de Estado da Economia Agrária, funciona pelas leis do mercado. Mas, estão em curso medidas de mitigação do mau ano agrícola e da pandemia, com uma bonificação em 30% do preço da ração. Mas para se combater a recorrente rutura de stock, o Governo quer criar uma empresa nacional de logística para o setor agropecuário com a participação de privados.

O Governo nega interferência na regulação do preço do milho de segunda, para fabrico da ração, que funciona pelas leis do mercado. O Secretário de Estado da Economia Agraria disse em conferencia de imprensa que o elevado custo para o Estado dita o fim da subsidiação do preço do milho, mas, por ora, no quadro das medidas extraordinárias de mitigação para se combater os efeitos da seca e da pandemia, mantem-se a bonificação em 30% do preço da ração para o gado ruminante.

Para se combater o recorrente processo de rutura de stock, o Governo quer criar uma empresa nacional de logística para o setor agropecuário, com a participação de privados. Mas, para o Secretário de Estado Economia Agraria, fatores externos ditaram a rutura de stock do milho de segunda no mercado, mas no dia 16, portanto daqui a 2 dias, chega um novo carregamento. Ciente do problema, o executivo prepara uma medida de fundo.



Artigos Relacionados