UNTC-CS prevê um ano de convulsão social se o Governo não resolver as pendências

21 de janeiro de 2022

A+ A-

A UNTC-CS prevê muito difícil o ano laboral que está a começar. A presidente Joaquina Almeida fundamenta sua conclusão em conflitos laborais pendentes que segundo ela, podem ser gota de água que poderá transbordar a paciência dos trabalhadores cabo-verdianos, ao mesmo tempo que faz uma leitura do impacto do Orçamento de Estado no bolso de cada trabalhador.

A partir de agora as empresas terão de aplicar o Lay Off do Código Laboral que abrange um período de 120 dias. Terminando esse tempo, muito trabalhadores, poderão ficar de mãos a abanar perante a situação financeira deficitária de uma parte das empresas nacionais.

A UNTCS não vê com bons olhos a proposta do Governo que visa rever o Código Laboral. Joaquina Almeida entende que esta não é uma prioridade neste momento

A união entre as centrais é o trunfo para uma luta sintonizada para fazer face as pendencias na administração púbica, ate porque a lista é enorme e engloba trabalhadores das Alfândegas, oficias da PJ, da Policia Nacional, Guardas Prisionais, Enfermeiros, Seguranças privadas. Tudo isto sem esquecer a luta pelo salario mínimo nacional de 15 mil escudos.

 

RTC Online, com TCV

Artigos Relacionados